Cursos

Edição 2014

Listagem de Cursos

Instrutor:

  • Carol McDavit

Instrutor:

  • Pedro Cantalice

Instrutor:

  • Celso Woltzenlogel

Instrutores:

  • Turibio Santos
  • Ulisses Rocha

Instrutor:

  • Suray Soren

Informações sobre os cursos

Período dos cursos: 23 a 27 de Julho 2018
Local: Escola Ministro Raul Fernandes (CE) – Vassouras – RJ
Horário dos Cursos: 09:00 às 17:00


Informações e contato

Telefone: 21-999791302 (Nanda)
Email: cursos@festivalvaledocafe.com.br

Inscrições


Para se inscrever é necessário preencher os documentos e enviar para o e-mail: cursos@festivalvaledocafe.com.br

Só serão aceitas as inscrições encaminhadas pelo e-mail e mediante todos os documentos recebidos.

O curso é GRATUITO. HOSPEDAGEM e ALIMENTAÇÃO por conta do aluno.

Documentos necessários para Menores:
Os documentos originais citados devem ser apresentados no local para confirmação da inscrição.


Documentos para Maiores:
Os documentos originais citados devem ser apresentados no local para confirmação da inscrição.


Carol McDavit

CAROL MCDAVIT, americana de nascimento e brasileira por adoção, tem recebido elogios entusiastas do público e da crítica especializada, pelo seu trabalho em ópera, oratório, recitais e em gravação. Doutora em Música pela UNIRIO e Mestre em Música pela Manhattan School of Music de Nova Iorque, Carol desenvolve expressiva e diversificada carreira no Brasil, como solista das principais orquestras e das temporadas líricas do país. Como camerista realizou centenas de recitais no país e no exterior, com ênfase especial na música brasileira e americana. Seus CDs incluem o oratório Colombo de Carlos Gomes (Prêmio Sharp) e canções brasileiras, em duo com Maria Teresa Madeira (Trovas e Cantares) e Turíbio Santos (Amazônia é Brasil). Atualmente é professora de canto e de ópera do Instituto Villa-Lobos na UNIRIO no Rio de Janeiro, onde coordena e dirige o projeto Ópera na UNIRIO.

Celso Woltzenlogel

Celso Woltzenlogel, Doutor em Educação pela UFRJ e membro da Academia Brasileira de Música, desenvolveu intensa atividade como professor e instrumentista.

Foi professor titular da Escola de Música da UFRJ onde se diplomou com a nota máxima, na classe de Moacyr Liserra. Primeiro flautista das orquestras Sinfônica Nacional e Sinfônica Brasileira. Integrante e fundador dos Flautistas do Rio, Quinteto de sopros Villa-Lobos, Ars Barroca, Sexteto do Rio, Jazz Clássico do Rio de Janeiro, Duo Instrumentalis (flauta e percussão) e Orquestra de Câmara da Rádio da Ministério da Educação e Cultura.

Além de suas atividades no campo da música clássica, participou intensamente da gravação de trilhas sonoras para o cinema e a televisão e nos discos dos maiores nomes da música popular brasileira. Como professor, ministrou master-classes nos mais importantes cursos de férias e festivais do país e do exterior.

Já se apresentou em Atlanta, Assunção, Baton Rouge (Louisiana),Bariloche, Beijing, Budapest, Buenos Aires, Caracas, Chicago,Copenhague, Estocolmo, Halifax, Hamburgo, Havana, Izmir, La Plata, Le Mans, Los Angeles, Lima, Lund, Madri, Malmo, Marselha, Mendoza, México, Montevidéu, Nice, Orlando, Porto, Quito, Rosário, Santiago do Chile, Slovenia, San José da Costa Rica, São Petersburgo, Tuscaloosa, Valencia e Vilnius.

Publicou vários trabalhos didáticos destacando-se o Método Ilustrado de Flauta conhecido internacionalmente e, mais recentemente, o “Flauta Fácil, método prático para principiantes”. Foi fundador e presidente da Associação Brasileira de Flautistas (1994/2007) e coordenador mundial de marketing das famosas flautas SANKYO (1997/2003). Desde 1999 reside em Paty do Alferes, RJ onde continua produzindo trabalhos didáticos junto a Editora Vitale, além de ministrar, graciosamente, aulas de flauta para jovens da região sul fluminense e participar como professor dos Festivais Vale do Café desde sua primeira edição.

Pedro Cantalice

Cavaquinista e bandolinista, iniciou seus estudos em música na Escola de Música Villa-Lobos no ano de 2004, onde se formou como técnico em editoração de partituras. Natural do Rio de Janeiro é o primeiro aluno do curso bacharelado em cavaquinho da UFRJ. No ano de 2013 participou como coprodutor do CD Siqueira Entre Nós, com lançamento na Sala Municipal Baden Powell. Em 2015 estreou a primeira Sonatina para Cavaquinho e Piano de Alexandre Schubert, sendo o convidado especial do evento “Cordas dedilhadas em concerto” promovido pela Escola de Música da UFRJ. No mesmo ano atuou ao lado dos renomados violonistas Turíbio Santos e Marcello Gonçalves no show “Uma Estrela de Cinco Pontas”. Já excursionou para países como Argentina, Portugal e França promovendo palestras e workshops de cavaquinho, bandolim e Música Brasileira. Atualmente se dedica a pesquisa da memória do cavaquinho brasileiro e a divulgação de novas obras para o instrumento.


Suray Soren

Violinista da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de janeiro, iniciou seus estudos de piano aos três anos de idade e aos onze anos começou os estudos de violino na Escola Nacional de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Formou-se no curso superior de violino, aperfeiçoando-se mais tarde com o Professor Paulo Bosísio.
Interessada em desenvolver o estudo de violino para crianças, participou de vários cursos de formação de professores na Irlanda, Chile, Curitiba, Porto Alegre e Florianópolis. Pioneira no ensino do Método Suzuki no Rio de Janeiro, adaptou o método japonês à nossa realidade, aproveitando a riqueza da música brasileira. Sendo assim, deu origem ao MÉTODO SUZUKI TROPICAL e, por vários anos, ministra cursos para formação de monitores e professores do Método.
Ministrou aulas no 12º Curso Internacional do Método Suzuki no Chile e como violinista, representou o Brasil na Iª Orquestra Mundial, sob a regência do renomado maestro Carlo Maria Giulini, em Estocolmo, Suécia.
Por cinco anos consecutivos tem realizado uma série de concertos pela Europa (Alemanha, Áustria, França, Itália, República Tcheca, e Portugal). No ano passado dirigiu uma apresentação do grupo Os Pequenos Mozart e Amadeus para o Papa, no Vaticano, na Audiência Papal, divulgando mais uma vez a música brasileira.Concertos realizados:
– Theatro Municipal – RJ (2001, 2002, 2003, 2004, 2005, 2006, 2012, 2013, 2014 e 2017);
– Centro Cultural Banco do Brasil–Sintonia Musical- oito shows(2006);
– Série “ Quintas no BNDES ” (2006);
– Tribunal de Contas do Município RJ – Solenidade de Entrega da Comenda(2006);
– Centro Cultural Banco do Brasil – Concertos de Páscoa (2005);
– Sala Cecília Meireles (com o violinista francês Nicolas Krassik/2003);
– Ouro Preto (2005);
– Festival Vale do Café (2003, 2004, 2005, 2006, 2010, 2012, 2014, 2015, 2016 e 2018);
– CLARO HALL(com a violinista Vanessa Mae/2002),
– Igreja da Candelária (2001),
– Festival de Inverno – Itaipava (2004/2005);
– Concerto dos 500 – Theatro Municipal (2010);
– Prêmio FINEP – Theatro Municipal (2014);
– Festival de Inverno – Itaipava (2004/2005);
– Bauernfest – (2013, 2014, 2015, 2016, 2017 e 2018)
– Festival de Harpas – Forte de Copacabana (2014)
– Shopping Leblon – Apresentações de Natal (2014 e 2015);
– Concerto na FacherResidenz – Karlsruhe – Alemanha (2014)
– Concerto no Weltmuseum – Viena – Austria (2014)
– Academia de Artes de Praga – República Tcheca (2015)
– Potsdam Museum – Alemanha (2015)
– Embaixada do Brasil – Paris (2016)
– Embaixada do Brasil – Roma (2017)
– Audiência Papal – Roma (2017)
– Sala Einstein Kultur –Munique (2018)
– Palacio Foz – Lisboa (2018)
– Mosteiro dos Jerônimos – Lisboa (2018)

Turíbio Santos

Nasceu em São Luis do Maranhão em 1943 residindo no Rio de Janeiro desde 1946. Foi atraído para o violão graças ao pai, seresteiro e amador de óperas. Aos doze anos, incentivado pela mãe inicia seus estudos com Antonio Rebelo e mais tarde com Oscar Cáceres. Aos 15 anos assiste a uma conferencia de Villa-Lobos sobre a obra do compositor, que não esquecerá pelo resto da vida. Aos 18 anos, apresentado a Arminda Villa-Lobos em 1961, por Herminio Bello de Carvalho é por ela convidado a gravar a integral dos Doze Estudos do compositor para o recém fundado Museu Villa-Lobos.
A partir daí começa uma carreira internacional coroada em 1965 por um primeiro premio em Paris na ORTF. Para a ERATO Disques grava 18 discos em 18 anos, sendo os dois primeiros gravações de Villa-Lobos. Com excelentes críticas do New York Times, Times de Londres, Le Figaro, e revistas especializadas percorre os cinco continentes sempre preocupado em estar no Brasil. Graças a isso veio a dirigir o Museu Villa-Lobos durante 24 anos,de 1986 a 2010, e criou as classes de violão na UFRJ e na UniRio em 1980, e 81 respectivamente. Entre discos e CDs gravou mais de setenta, criou edições em Paris de autores brasileiros (Max Eschig),é membro da Academia Brasileira de Musica (que já presidiu)e da Academia Maranhense de Letras.
Recebeu o grau de oficial da Ordem do Cruzeiro do Sul e da Legion d’Honneur.

Ulisses Rocha

O violonista Ulisses Rocha, com 14 CDs gravados, transita entre os mundos da música brasileira, da música erudita e do jazz, sendo reconhecido pelo seu virtuosismo, versatilidade e criatividade.

Em suas frequentes turnês internacionais, reveza-se nas as funções de solista e professor, apresentando-se em recitais e master classes em mais de 20 países em 4 continentes.

Em fevereiro de 2018, grava em na Alemanha seu mais recente trabalho, Madeira Branca,a ser lançado exclusivamente em Vinil em toda a Europa.

Além de sua atuação como artista, desempenha importante trabalho na área didática comoprofessor Doutor do Departamento de Música da Unicamp, e como professor convidado na University of Florida , nos EUA onde residiu por 5 anos.

Go to top